Fabiana Lima

Archive for abril 2010

Meio adolescente, não? Pois é. Mas ele existe e é mais comum em adultos do que se imagina. Não; não é sobre o carro, a casa própria ou do professor de matemática que falo (se bem que professor de matemática é coisa de adolescente, mas enfim).

Amor Platônico. Aquele que a gente quer, com o qual a gente sonha. É óbvio que quando a gente acorda, “puft!”, ele não existe. Acaba o sonho e segue a realidade. Mas espera aí: será que ele não existe mesmo ou você tem é medo de encontrá-lo?

Para algumas mulheres ele seria um príncipe encantado (bonito, gostoso, sexy, inteligente, delicado, compreensivo, carinhoso e principalmente rico). Para outras, o cafajeste sexy e bom de cama.

Para alguns homens seria a Angelina Jolie (não necessita descrições). Para outros também.

Pra mim, no entanto, o amor platônico é aquele que a gente sempre persegue, mesmo sem perceber. É quando se quer o que não tem. É querer o loiro porque tem o moreno. Querer o cafajeste porque tem o carinhoso. Querer um jovem porque o velho já enjoou. Querer o rico porque o pobre já encheu o saco. É querer o que convém, o que é difícil, emocionante. E pense bem: será que não somos todos assim?

Acho que o amor platônico faz bem pra mente, pro coração, pra alma e tudo o mais.  Até que ele se torne uma coisa rotineira, até quando precisarmos de um novo amor platônico…

E qual é o seu amor platônico?



  • Nenhum
  • Micha: FAbi, hj q voltei aqui com calma, li seus posts antigos. e bom q me atualizei da sua vida, pq a ultima coisa q sabia é q tinha ido morar no Sul. Bom
  • Fabi: Então, Lulu, na verdade a Lelinha me disse esses dias sobre o Skoob, mas eu ando super preguiçosa pra ficar vendo e mantendo sites de relacionamento
  • Lulu on the sky: Amei a menina que roubava livros fui às lágrimas. Não li ainda Comer, Rezar e Amar mas eu quero ler. Terminei o Simbolo Perdido do Dan Brown e agor

Categorias